Epidemiologia das Doenças Cardiovasculares em Países de Língua Portuguesa

24 December, 2018

Caros colegas HIFA-portugueses,

Segue abaixo a citação e resumo de um artigo nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia. O artigo conclui: "A colaboração entre os membros do PLP (Países de Língua Portuguesa) pode permitir que as experiências exista no."

Anteriormente, as Organizações Mundiais de Saúde apoiavam a colaboração entre os PLP através do programa ePortuguês, mas esta foi descontinuada em 2015. Qual é a situação atual para a colaboração entre os PLP?

Epidemiologia das Doenças Cardiovasculares em Países de Língua Portuguesa: dados do “Global Burden of Disease”, 1990 a 2016

Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Volume 110, Nº 6, Junho 2018

DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/abc.20180098

RESUMO

Fundamento: Os países de língua portuguesa (PLP) partilham a influência da cultura portuguesa com desenvolvimento socioeconômico diverso de Portugal.

Objetivo: Descrever as tendências de morbidade e mortalidade por doenças cardiovasculares (DCV) nos PLP, entre 1990 e 2016, estratificadas por sexo, e sua associação com os respectivos índices sociodemográficos (SDI).

Métodos: O estudo utilizou dados e metodologia do Global Burden of Disease (GBD) 2016. As informações seguiram padrões internacionais de certificação de óbito, através de sistemas de informação sobre estatísticas vitais e vigilância da mortalidade, pesquisas e registros hospitalares. Empregaram-se técnicas para padronização das causas de morte pelo método direto, e correções para sub-registro dos óbitos e garbage codes. Para determinar o número de mortes por cada causa, aplicou-se o algoritmo CODEm (Modelagem Agrupada de Causas de Morte). Estimaram-se os anos saudáveis de vida perdidos (DALYs) e o SDI (renda per capita, nível de escolaridade e taxa de fertilidade total) para cada país.

Resultados: Existem grandes diferenças na importância relativa da carga de DCV nos PLP relacionadas principalmente às condições socioeconômicas. Entre as DCV, a doença isquêmica do coração foi a principal causa de morte nos PLP em 2016, com exceção de Moçambique e São Tomé e Príncipe, onde as doenças cerebrovasculares a suplantaram. Os fatores de risco atribuíveis mais relevantes para as DCV entre os PLP foram a hipertensão arterial e os fatores dietéticos. Um valor de p < 0,05 foi considerado significativo.

Conclusão: A colaboração entre os PLP poderá permitir que experiências exitosas no combate às DCV sejam compartilhadas entre esses países. (Arq Bras Cardiol. 2018; 110(6):500-511)

Felicidades, Neil

Perfil HIFA-pt: Neil Pakenham-Walsh é o coordenador da campanha HIFA (Healthcare Information For All) e codiretor do Global Healthcare Information Network. Neil começou sua carreira como médico na Inglaterra e o Reino Unido, e tem experiência em trabalhar numa área rural do Peru e Equador. Durante os últimos 20 anos, está comprometido com o desafio global de melhorar o acesso e a disponibilidade de informação de saúde confiável e atual para profissionais de saúde de países de baixa e média renda. Seus interesses estão relacionados com plataformas de comunicação interdisciplinares que contribua para o desafio do desenvolvimento internacional. Neil trabalhou com a Organização Mundial da Saúde, o Wellcome Trust, Medicine Digest e INASP (Rede Internacional para a Publicação e Promoção da Ciência).

Twitter: @hifa_org FB: facebook.com/HIFAdotORG neil.pakenham-walsh AT ghi-net.org